top of page
Search
  • Angela & Maria

A Lua nasce para todos! The Moon shines on everyone!


E inspira poetas, fotógrafos, blogueiros e namorados. Por que será?

And it is a source of inspiration to poets, photographers, bloggers, and lovers. Why is that?

Talvez seja porque a Lua muda toda semana e faz parte do imaginário de todas as culturas desde que o tempo é tempo. Ou será que é porque a Lua é sempre nova: se renova, cresce, desaparece, reaparece?

Perhaps it’s because the Moon changes every week and is part of the imagination of cultures since the beginning of time. Or, could it be because the Moon is always new? Isn’t it true that it renews itself by waxing, waning and reappearing?

A Lua é, às vezes, incorporada na narrativa dos povos como algo bom, às vezes como algo pesado. Às vezes como simbologia do círculo da vida: nascimento e morte.

The Moon is sometimes found in the folk narratives as something good, sometimes as something heavy. Sometimes it’s the equivalent of the circle of life: birth and death.

E lá vem a lua de novo: mas tem sempre coisas novas sobre ela. Novos ângulos, novos olhares.

And here it comes again: but there is always something new about it. New angles, new views.

A Lua é às vezes complemento do Sol: na simbologia do Ying Yang, na lenda de Jaci e Guaraci, em narrativas de povos indígenas norte-americanos e também irlandeses. Na mitologia greco-romana transforma-se em Diana, deusa da lua, da caça, e do parto.

The Moon is sometimes the Sun’s counterpart: in the Ying-Yang symbology, in Jaci and Guaraci in the Brazilian legend, in North American Native peoples and also in Irish traditions. In the Greek-Roman mythology, the Moon is Diana, goddess of the hunt and the moon, and childbirth.

Às vezes, aparece como símbolo da feminilidade, dos valores noturnos, do inconsciente e do conhecimento progressivo. A Lua é luz nas trevas. A Lua é reflexão porque quando ela surge no céu, muitas atividades na natureza diminuem seu ritmo.

Sometimes the Moon represents femininity, the nocturnal values, the unconscious and the progressive thinking. The Moon is the light in the darkness. It is reflection, because when it rises, many of nature’s activities slow down.

A Lua não tem luz própria e por isso parece sempre estar no palco, pronta para ser admirada e venerada. Os sonhos são noturnos, assim como a lua. O inconsciente também precisa da escuridão, assim como a Lua.

The Moon doesn’t have its own light; that’s why it always seems to be on a stage, ready to be admired and worshipped. Dreams happen during the night, like the Moon. The unconscious also needs darkness to exist, like the Moon.

Às vezes feminina, às vezes masculina. Símbolo da fertilidade, senhora dos ritmos da vida. E também define as marés que são um fenômeno bem marcante na vida de tantas regiões.

Sometimes the Moon is feminine, sometimes masculine. It is the symbol of fertility, the ruler of life cycles. It also defines the tides, which are an extremely important phenomenon in so many regions of the world.

E, por outro lado, também define crenças em muitas culturas, como a nossa: lua certa para cortar o cabelo, podar certas flores, encontrar o namorado...A lua está presente nas lendas indígenas, afro-brasileiras, africanas, irlandesas, celtas e chinesas.

And, on the other hand, it also inspires beliefs in many cultures, like the Brazilian one: the right moon to have your haircut, to prune certain flowers, to find your boyfriend… The Moon is present in Indigenous, African, African-Brazilian, Irish, Celtic and Chinese legends.

E ela continua nos ensinando muita coisa sobre nós mesmas e sobre nosso mundo.

And it keeps on teaching us a lot about ourselves, and our world.

E, para finalizar, a Lua nas músicas que atravessam o tempo e nos lembram de sua natureza, ao mesmo tempo mutante e perene.

And, last but not least, the Moon is present in the songs that are timeless and remind us of nature, at the same time changing and permanent.


10 views0 comments

Recent Posts

See All
bottom of page